Páscoa 2024: dados do consumo no Brasil

Páscoa 2024: dados do consumo no Brasil

Páscoa 2024: dados do consumo. O Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA) identificou uma queda de 5% nas vendas de Páscoa em comparação com o ano passado. A análise comparou as vendas feitas entre os dias 3 a 9 de abril de 2023 com os dias 25 a 31 de março de 2024. Criei esse texto com dados de diversas fontes e fiz a curadoria do panorama de Páscoa com insights para o Dataísmo.

Setores afetados na Páscoa 2024

O setor de supermercados e hipermercados teve queda de 3,9% no faturamento. Para Carlos Alves, vice-presidente de Tecnologia e Negócios da Cielo, a comemoração da data no fim do mês pode ter influenciado o resultado negativo no varejo. “No ano passado, a Páscoa caiu no início do mês, período em que o comércio está mais aquecido por causa dos depósitos dos salários”, comenta para a imprensa (Índice Cielo do Varejo Ampliado).

Chocolaterias em destaque na Páscoa 2024

Apesar da retração geral, as chocolaterias tiveram um crescimento de 3,8%. As lojas em shoppings registraram alta de 4% no faturamento, enquanto as chocolaterias de rua cresceram 3,7% (Índice Cielo do Varejo Ampliado).

Desempenho por região

Todas as regiões brasileiras apresentaram retração: Nordeste (-3,5%); Norte (-3,9%); Sudeste (-5,5%); Sul (-5,9%); Centro-Oeste (-8,5%). Os maiores declínios foram no Paraná (-8,8%) e em Goiás (-8,5%), enquanto o Ceará (-2,1%) e Rio de Janeiro (-2,5%) tiveram quedas menores (Índice Cielo do Varejo Ampliado).

Páscoa 2024: fatores que influenciaram o consumo

A baixa procura pelos chocolates pode ser atribuída a diversos fatores, como dívidas, desemprego e até mesmo a falta de interesse em comprar presentes, de acordo com pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e SPC Brasil. A média de compras dos consumidores na Páscoa deste ano será de R$237, com filhos, cônjuges, mães e sobrinhos sendo os principais destinatários dos presentes.

Expectativas e preferências na Páscoa 2024

Mais da metade dos consumidores acreditaram que os produtos estavam mais caros em 2024. Os ovos de chocolate industrializados lideraram as compras, seguidos por bombons industrializados e ovos de Páscoa caseiros e artesanais. Apenas 37% dos brasileiros pretendiam participar da brincadeira do “amigolate”, com um valor médio de presente de R$60, uma queda de R$9 em relação ao ano passado (de acordo com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e SPC Brasil e EBC Brasil).

Em outras palavras

Apesar da queda nas vendas de Páscoa em 2024, as chocolaterias foram um ponto positivo, com um aumento significativo nas vendas. A comemoração da data no fim do mês pode ter influenciado o resultado negativo no varejo, mas fatores como dívidas e desemprego também contribuíram para a baixa procura por chocolates. A média de compras dos consumidores foi apontada como de R$237, e os ovos de chocolate industrializados foram os itens mais comprados, seguidos por bombons industrializados e ovos de Páscoa caseiros e artesanais.

Para continuar a conversa

Páscoa 2024: dados do consumo no Brasil
Páscoa 2024: dados do consumo no Brasil
Rolar para cima