Consumo de notícias no Brasil em 2023

Consumo de notícias no Brasil em 2023

TV continua líder, as redes sociais avançam e os algoritmos aparecem como fator importante no consumo de conteúdo, já que estão ganhando espaço na forma como as informações aparecem para as pessoas.

Nos dias de hoje, o cenário de consumo de notícias no Brasil é multifacetado e dinâmico. 

Embora as redes sociais estejam conquistando cada vez mais espaço nos hábitos de consumo de mídia dos brasileiros, os dados mais recentes da YouGov revelam que a televisão ainda mantém sua posição de liderança como a principal fonte de notícias no país, com 64,2% dos brasileiros obtendo informações através desse meio. 

Abaixo, listo mais detalhes desse cenário e sua evolução

TV: a principal fonte de notícias

A televisão continua a ser a principal fonte de notícias para a maioria dos brasileiros. Segundo a pesquisa da YouGov, mais de seis em cada dez entrevistados afirmaram receber notícias pela TV. Isso indica que, apesar da crescente digitalização da mídia, a televisão mantém sua relevância como uma fonte confiável e acessível de informações.

Redes Sociais: ganham terreno, mas não lideram

As redes sociais, que têm desempenhado um papel cada vez mais importante na disseminação de conteúdo jornalístico, ocupam o segundo lugar no ranking das fontes de notícias no Brasil.

Redes sociais contam com 55,4% das pessoas obtendo informações.

Outras fontes de notícias

Além da TV e das redes sociais, outras fontes de notícias também desempenham papéis importantes no panorama midiático brasileiro:

  • Sites e Aplicativos de Notícias: Com 43,1% dos usuários, os sites de notícias e os aplicativos móveis de veículos estão entre as fontes de notícias mais utilizadas no Brasil. 
  • Emissoras de Rádio: As emissoras de rádio ainda mantêm sua relevância, com 33% dos brasileiros afirmando ouvi-las para obter notícias.
  • Jornais impressos: A pesquisa mostra que apenas 10% da população brasileira lê jornais impressos regularmente. Isso reflete uma tendência global de declínio na circulação de jornais físicos.
  • Revistas físicas: As versões físicas de revistas têm uma participação ainda menor, com apenas 5,2% da população consumindo notícias dessa forma. 

Jornais digitais: tempo de leitura limitado

Embora a era digital tenha trazido uma profusão de jornais digitais, a pesquisa da YouGov revela que apenas 20% dos brasileiros dedicam mais de uma hora por dia para ler notícias online. Metade dos entrevistados admitiu não saber quanto tempo gasta com jornais digitais ou simplesmente não consumir notícias por esse meio. Isso destaca a importância de outras fontes de informação, como a televisão e as redes sociais.

A importância dos algoritmos

David Eastman, diretor-geral e comercial da YouGov da América Latina, observa que o controle do mercado de notícias atualmente recai sobre as plataformas digitais.

Elas usam algoritmos para determinar o conteúdo que as pessoas veem, influenciando assim suas escolhas futuras. Isso destaca a influência e a responsabilidade das gigantes da tecnologia na formação da opinião pública e na disseminação de informações.

Metodologia da Pesquisa

A pesquisa da YouGov foi criada com base em questionários com adultos com 18 anos ou mais em mais de 18 mercados. Os dados foram coletados online entre março e abril de 2023. 

A amostra nacionalmente representativa foi usada em todos os mercados, exceto México e Índia, que usaram amostras representativas da população urbana, e Indonésia e Hong Kong, que usaram amostras representativas da população online.

O panorama do consumo de notícias no Brasil em 2023 é diversificado e em constante mudança. A televisão ainda é a principal fonte de informações para a maioria dos brasileiros, mas as redes sociais estão ganhando terreno rapidamente. O equilíbrio entre essas diferentes fontes de notícias reflete a complexidade do ambiente midiático contemporâneo e destaca a importância de se adaptar às preferências de consumo de cada indivíduo.

Veja mais conteúdos

Rolar para cima