Dados fora da caixa: menos pesquisas W.E.I.R.D., mais abrangência em Business Intelligence

 

A maior parte das pesquisas globais sobre economia, política e até de teorias comportamentais, seja no mundo acadêmico ou no mercado, são baseadas em dados coletados sobre pessoas padronizadas, que representam uma amostra muito limitada em relação à variedade de humanos que temos. Aonde estão os indianos, os negros, os orientais, os gays, as pessoas transexuais?

As pesquisas que s√≥ abordam determinada parcela da popula√ß√£o s√£o limitadas, globalmente publicadas e chamadas de ‚Äúpesquisas W.E.I.R.D.‚ÄĚ. Elas podem ser reduzidas ao clich√™ de ‚Äúprecisamos sair da caixa‚ÄĚ das pesquisas.

W.E.I.R.D., em pesquisa, significa:

  • Western (ocidental);
  • Educated (educa√ß√£o superior);
  • Industrialized (industrializado/urbano);
  • Rich (rico).
  • Democratic (democrata).

No Brasil, podemos tra√ßar v√°rios perfis de ‚Äúpesquisas WEIRD‚ÄĚ. Um deles √©:

  • Branco;
  • Heterossexual;
  • Ensino superior;
  • Vive em grandes metr√≥poles;
  • Rico: √© das classes A e B;
  • Liberal (posicionamento pol√≠tico).

O desafio no Brasil passa por várias camadas, especialmente raciais e sociais. Se dermos um breve Google, o volume de pesquisas sobre quem está fora do padrão é absurdamente menor. Nesta minoria temos moradores da periferia, classe D,  transgêneros, bissexuais, mães solteiras, casais homoafetivos que adotaram crianças, retirantes nordestinos (ad infinitum).

O desafio das ‚Äú9 dots‚ÄĚ ou ‚Äúthinking outside the box‚ÄĚ
Hora do jogo

2015-11-12_outsidethebox_jogo

Ligue os pontos;
Use apenas quatro linhas retas;
Linhas devem ser conectadas (não dê o truque e tire a caneta do papel enquanto traça-as);
Você não pode refazer as linhas enquanto traça.

Para visualizar o resultado, clique aqui.

O resultado de ligar simples esferas √© um paralelo matem√°tico que podemos associar ao desafio ao pensar fora da caixa com as pesquisas, relat√≥rios e solu√ß√Ķes estrat√©gicas. A ‚Äúvis√£o viciada‚ÄĚ √© comum, pois estamos ligamos mais ligados ao contexto do que j√° temos, √†s possibilidades concretas e aos pensamentos facilmente acess√≠veis.

As crian√ßas costumam fazer o desafio das 9-dots com mais facilidade e rapidez do que os adultos. O ‚Äúquebra a cabe√ßa‚ÄĚ √© resolvido com menos ‚Äúlimita√ß√Ķes de mundo‚ÄĚ, menos conceitos pr√©-determinados. As crian√ßas n√£o possuem uma caixa clara ainda e usam a criatividade e experimenta√ß√£o. Em outras palavras, pensam sem limita√ß√£o.

Christian Rudder a aplicação anti-W.E.I.R.D. no site OkCupid

2015-11-11_outsidethebox_gif1

Em seu livro ‚ÄúDataclysm – Who We Are (When We Think No One’s Looking)‚ÄĚ, o autor Christian Rudder aborda, em alguns momentos, as pesquisas W.E.I.R.D., apontando que elas limitam a nossa vis√£o total do que est√° acontecendo. Rudder √© co-fundador do site OkCupid, um dos sites de relacionamentos gratuitos mais populares do mundo, com¬†mais de 3,5 milh√Ķes de usu√°rios.

Por meio de gr√°ficos e de explica√ß√Ķes para comportamentos dos usu√°rios, Rudder comprova que sair da amostra tradicional mostra¬†novos cen√°rios – que √© o caso de sua pesquisa no site OkCupid. Ao analisar um dos maiores sites de relacionamento do mundo, ele procura ir al√©m das ‚Äúpessoas tradicionais‚ÄĚ das pesquisas W.E.I.R.D. e investiga, tamb√©m, asi√°ticos, negros e latinos.

Ao perguntar-se sobre o quê a equipe do OkCupid sabia sobre o comportamento e quais dados tinham da parcela de asiáticos, negros e latinos, ele concluiu:

“N√£o h√° muito que voc√™ pode fazer com o fato de que, estatisticamente, a banda menos negra na Terra √© Belle & Sebastian, ou que o flash instant√Ęneo em uma foto faz uma pessoa sentir-se sete anos mais velho, exceto para dizer, e talvez repet√≠-la em um jantar”.

(Christian Rudder, no livro “Dataclysm: Who we are”)

E foi explorando as possibilidades de v√°rios tipos de pessoas que Hudder chegou em dados sobre a possibilidade de encontros entre pessoas de diferentes ra√ßas se conhecerem. O gr√°fico abaixo √© feito junto ao DateHookUp, plataforma independente adquirida pelo OkCupid e que mostra uma base de usu√°rios com¬†preconceitos b√°sicos na hora de conhecer o seu ‚Äúcrush‚ÄĚ fora da internet:

2015-11-11_dataclysm_christianrudder_okcupid

  • Homens latinos e brancos s√£o os que menos querem conhecer seus ‚Äúdates‚ÄĚ negros;
  • Mulheres latinas n√£o costumam sair com homens asi√°ticos;
  • Mulheres brancas preferem sair com homens brancos;
  • Homens brancos preferem sair com mulheres brancas.

Fora da caixa

 

2015-11-11_outsidethebox_gif2

 

Ok. A express√£o ‚Äúfora da caixa‚ÄĚ surgiu h√° mais de 20 anos e hoje em dia n√£o podemos dizer que este mote √© ‚Äúfora da caixa‚ÄĚ, pois j√° tornou-se clich√™ e… resumido, inclusive. Atualmente, √© usada frequentemente no marketing e na publicidade. Mas qual, realmente, a sua aplica√ß√£o? Quantas campanhas e pesquisas podemos listar que possuem dados sobre¬†as pessoas fora do eixo W.E.I.R.D., mas que s√£o atuantes na sociedade, mas nem sempre possuem visibilidade?

Pensar fora da caixa √© olhar al√©m do que foi coletado nas pesquisas e pensar no espa√ßo ‚Äúvazio‚ÄĚ que ainda existe, para ir al√©m dele e compor uma amostra completa. Para criar insights ‚Äúfora da caixa‚ÄĚ e aplicar de forma a criar Business Intelligence:

Abrangência da pesquisa:
– Quais pessoas esta pesquisa engloba?
– Quais solu√ß√Ķes podem ser aplicadas?
– Qual as ideias/insights/conhecimentos que as solu√ß√Ķes sugerem?

 

Menos dadinho, mais big data:
(Para pensar no cen√°rio total, e n√£o apenas no que salta aos olhos)

– Lato sensu, em latim, significa ‚Äúsentido amplo‚ÄĚ. Utilizada frequentemente para caracterizar determinada interpreta√ß√£o que deve ser abordada no sentido lato (abrangente);
– ‚ÄúLato‚ÄĚ sim. A abrang√™ncia das pesquisas √© fundamental para sair que elas abordam Contido em si, dar o sentido de inclus√£o de muitos dados ou muitos fatos inerentes ao assunto.