Faxina Digital

A vida digital nos oferece inúmeras pessoas para seguir, livros para ler, músicas para ouvir e uma infinidade de vídeos. O outro lado de toda essa abundância digital é que muitas vezes nos sentimos exaustos de tanta informação. Na sociedade da atenção, o tempo é ouro e a faxina digital (também chamada de digital declutter) é uma alternativa para aproveitá-la melhor. 

Em Joy of Missing Out, Brinkmann, argumenta que o caminho para a felicidade não consiste em adquirir mais, mas em querer menos. “Construir um ambiente que não o tente o tempo todo”. Na internet, faz-se necessário limpar e reorganizar os arquivos, mídias sociais, aplicativos, e-mails, enfim, tudo o que está disponível e conectado, abre o espaço mental para o que é importante para você. 

Para realizar a faxina digital, o primeiro passo é fazer um mapeamento de todas as coisas digitais que possui (fotos, conversas, vídeos, e-mails etc.). depois, excluir tudo o que não acessa ou que não tem mais utilidade. e por fim, reorganizar e o manter a vida digital organizada.

FOMO (Fear of Missing Out) x JOMO (Joy of Missing Out)

Mais livros, mais filmes, mais perfis para seguir, mais etapas de skincare. E se eu ficar de fora? O FOMO é o fear of missing out (medo de ficar por fora), uma sensação que só aumenta com tantas informações rápidas. O seu contraponto é o JOMO (Joy of Missing Out).

O medo ou a alegria de estar de fora?
FOMO (Fear of Missing Out) x JOMO (Joy of Missing Out)

O medo de ficar de fora
FOMO é o Fear of Missing Out (medo de ficar por fora) e é um comportamento que só aumentou nos últimos anos. A sensação de ansiedade ou angústia só aumenta com alto fluxo de informações, cada vez mais rápidas.

FOMO x JOMO
Se por um lado, o FOMO é o medo de perder algo, o JOMO (Joy of Missing Out) surge como uma proposta para sair da sensação de ansiedade digital. É a satisfação de estar distante e viver o momento presente, sem preocupação.

O prazer de estar fora
Joy of missing out (JOMO) é a liberdade de não saber, não acessar, e estar feliz com isso. É dizer não, nem que seja por um momento. Limitar e selecionar surge como alternativa, em contraponto ao excesso que lidamos todos os dias.

O que podemos fazer?
– Pausar: Fazer intervalos no uso da internet.
– Selecionar: Escolher o que vê, ouve, lê. Seguir e acompanhar sites e perfis que façam sentido para a sua realidade, a fim de não estar no fluxo o tempo todo. Foco no que é mais importante.
– Aproveitar: Talvez o mais difícil de todos, é focar no momento e buscar contentamento em estar por fora dos assuntos – e saber que nem sempre é possível estar conectado e por dentro de tudo.