Expectativas para o Dia das Mães 2024

Expectativas para o Dia das Mães 2024 movimentam o consumo, as buscas da internet e as vendas online e offline. O Dia das Mães é uma das datas mais significativas do calendário comercial brasileiro e marca um período de intensa movimentação no varejo. Aqui, separei alguns dados e insights guiados por dados para entender melhor as expectativas de consumo no Dia das Mães 2024.

E-commerce lidera as compras no Brasil

Para este ano, as projeções indicam um cenário otimista, especialmente no que diz respeito ao comércio eletrônico, que lidera as intenções de compras. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), estima-se que as vendas online atinjam um faturamento de R$ 7,03 bilhões, representando um crescimento de 5% em relação ao ano anterior. Uma pesquisa da Opinion Box corrobora essa tendência, indicando que 42% dos brasileiros planejam fazer suas compras para o Dia das Mães pela internet.

Presentes mais buscados nas expectativas de consumo do Dia das Mães 2024

De acordo com a ABComm, o primeiro passo para capturar a atenção dos consumidores no Dia das Mães é compreender suas necessidades e desejos. De acordo com uma pesquisa do Google, tanto as mães quanto os filhos têm preferência por presentes relacionados a roupas. Mas se, por um lado, muitas mães preferem ganhar celulares, a maioria dos filhos não pretende investir nesse tipo de presente por questões financeiras. 

A busca por presentes para o Dia das Mães tem início cerca de um mês antes da data comemorativa, conforme revelam os dados do Google Trends dos últimos 5 anos. 

Quanto aos presentes mais buscados, roupas, calçados e acessórios lideram a lista, seguidos por perfumes, cosméticos e eletrônicos. 

Ulisses Ruiz de Gamboa, economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), atribui essa preferência por itens de uso pessoal à busca por produtos mais acessíveis. Ele sugere estruturar promoções atraentes para manter um equilíbrio entre preço e margem de lucro satisfatória.

Antecipação para cumprir as expectativas para o Dia das Mães 2024

Os varejistas online têm se preparado com antecedência, ajustando seus estoques e oferecendo opções de pagamento e entrega ágeis para atender à demanda de última hora. Os consumidores esperam planejamento, transparência e comunicação eficaz.

José César da Costa, presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Logistas (CNDL), destaca a importância econômica dessa data, revelando que 78% dos consumidores brasileiros pretendem adquirir pelo menos um presente, totalizando cerca de 128 milhões de pessoas envolvidas nas compras. Estima-se que o tíquete médio gasto por presente seja de R$ 314, um aumento significativo em relação ao ano anterior, refletindo a disposição dos consumidores em investir mais neste período.

Apesar da intenção das compras em lojas físicas, uma parcela significativa dos consumidores (37%) planeja realizar suas compras online, principalmente sites, aplicativos e o Instagram. 

Quanto às formas de pagamento, a maioria dos consumidores pretende quitar suas compras à vista, com destaque para o uso do Pix e do cartão de débito. Aqueles que optam pelo parcelamento planejam dividir em média em quatro prestações, indicando uma tendência de uso do crédito para presentes de valor mais alto.

Em outras palavras

O Dia das Mães 2024 gera expectativa por ser uma data de intensa atividade comercial. O e-commerce pode liderar as vendas, e os consumidores têm demonstrado disposição para investir em presentes variados. De acordo com os especialistas, a melhor forma de aproveitar o período é investir no planejamento estratégico, na transparência nas operações e na comunicação eficaz com os clientes (tanto online quanto offline).

Para continuar a conversa

Expectativas para o Dia das Mães 2024: consumo digital e offline. E-commerce lidera. Imagem: Dataísmo.

Publicado por

Juliana Freitas

Profissional de Digital Business e Business Intelligence, com foco em Consumer Insights, Trends e Cultural Research. Pesquisa e trabalha criando estratégias baseadas em dados online e offline. Criadora do Dataísmo. Formada em Marketing e pós-graduanda em Digital Business na USP.

Sair da versão mobile