Pesquisa: 97% dos idosos acessam a internet

O total de idosos acessando a internet aumentou de 68% em 2018 para 97% em 2021, de acordo com pesquisa realizada* pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com a Offer Wise Pesquisas. 

Como os idosos brasileiros usam a internet

As principais motiva√ß√Ķes dos idosos s√£o:

  • Se informar sobre economia, pol√≠tica, esportes e outros assuntos (64%);
  • Utilizam a web para manter o contato com outras pessoas (61%);
  • Buscar informa√ß√Ķes sobre produtos e servi√ßos (54%).

Plataformas:

  • O principal meio de acesso √© o smartphone, citado por 84% dos idosos que usam a internet, um crescimento de 8 pontos percentuais em rela√ß√£o √† 2018, enquanto 37% usam notebook e 36% computador desktop.
  • De acordo com a pesquisa, os aplicativos que os idosos mais usam no celular s√£o as redes sociais (72%); de transporte urbano (47%); e banc√°rios (45%). O Whatsapp √© a rede social mais utilizada (92%), seguida do Facebook (85%) e Youtube (77%).

Consumo dos idosos:

  • Os idosos conectados tamb√©m utilizam a internet para realizar compras. Entre os produtos que costumam comprar pela internet, destacam-se os eletroeletr√īnicos (58%); rem√©dios (49%, com um aumento de 21 pontos percentuais em rela√ß√£o √† 2018); e eletrodom√©sticos (47%).
  • 81% fizeram cortes nos gastos por causa da pandemia.
  • 94% dos idosos relataram mudan√ßas na vida cotidiana
  • A pandemia alterou o dia a dia das pessoas e esse impacto √© ainda maior entre os idosos, principalmente por ser a faixa et√°ria para a qual a Covid-19 apresenta maior risco de agravamento. No que diz respeito aos efeitos da pandemia, 94% dos idosos relataram mudan√ßas na vida cotidiana, sendo as mais citadas: o uso de m√°scara sempre que n√£o est√° em casa (73%), o aumento da frequ√™ncia da higieniza√ß√£o das m√£os (67%) e o distanciamento de outras pessoas (59%).
  • Os gastos e consumos dos idosos tamb√©m foram impactados pela pandemia, os itens mais afetados foram as viagens (37%), as sa√≠das para bares e restaurantes (36%) e as compras de roupas, cal√ßados e acess√≥rios (36%).

Aceleração digital após a pandemia:

‚ÄúA pandemia acelerou ainda mais o processo de transforma√ß√£o digital, e com os idosos n√£o foi diferente. Muitos passaram a utilizar redes sociais e videoconfer√™ncias para manter contato com familiares e se informar. Sem contar a necessidade de fazer as compras de forma mais segura‚ÄĚ, afirma Jos√© C√©sar da Costa, presidente da Confedera√ß√£o Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).¬†

Sentimento dos idosos:

  • De acordo com a pesquisa, rela√ß√£o aos impactos emocionais, os principais sentimentos despertados pela pandemia foram o medo de perder as pessoas amadas (86%); a inseguran√ßa de ser contaminado pelo coronav√≠rus (75%); o medo de realizar atividades di√°rias (71%); e a ang√ļstia e ansiedade (63%).
  • As altera√ß√Ķes comportamentais mais citadas pelos idosos foram o aumento do otimismo e da confian√ßa de que coisas boas v√£o acontecer (78%); o isolamento de outras pessoas (74%); a menor vontade de sair (71%); o sedentarismo (65%); e as altera√ß√Ķes no sono (51%).
  • ‚ÄúA pandemia afetou diretamente o comportamento social e psicol√≥gico das pessoas, e o cuidado com a sa√ļde mental da popula√ß√£o √© parte importante nesse processo. A internet possibilita que esses idosos, muitas vezes isolados de seus familiares, possam manter um contato com a fam√≠lia e amigos‚ÄĚ, afirma Costa.

Necessidades do mercado:

‚Äú√Č fundamental que a gente direcione o nosso olhar para essa parcela da popula√ß√£o, que est√° inclu√≠da digitalmente, e isso representa oportunidade de neg√≥cios para nosso setor. Al√©m disso, a tecnologia ‚Äď fundamental para terceira idade, principalmente no momento atual, quando o isolamento social se faz necess√°rio ‚Äď √© um dos caminhos para o conhecimento, entretenimento, transforma√ß√£o e consumo‚ÄĚ, destaca o presidente da CNDL.‚ÄĮ

*Com trechos da pesquisa. De 10 a 23 de fevereiro de 2021, foram entrevistadas 414 pessoas com idade igual ou superior a 60 anos, residentes em todas as capitais brasileiras e pertencentes a todas as classes econ√īmicas e escolaridades. A margem de erro geral √© de 4,8 p.p para um intervalo de confian√ßa a 95%.

Saiba mais: quem s√£o os idosos brasileiros (IBGE)

Pesquisa: Como os idosos brasileiros usam a internet. Imagem: Reprodução/Free Pik.
Pesquisa: Como os idosos brasileiros usam a internet. Imagem: Reprodução/Free Pik.

Por idoso se entendem pessoas acima dos 60 anos. Atual expectativa de vida do brasileiro cresceu: é de 76,8 anos de acordo com o Censo 2020. Para os nascidos em 2019, a expectativa era viver, em média, até 76,6 anos. Em cinco anos, a expectativa de vida subiu 1,3 ano, enquanto em dez anos houve um crescimento de 3,3 anos. 

‚ÄúPara as mulheres, espera-se maior longevidade: 79,9 anos. J√° a expectativa de vida ao nascer para os homens ficou em 72,8 anos em 2018. Mas essa diferen√ßa, chamada de ‚Äúsobremortalidade masculina‚ÄĚ, √© mais acentuada conforme a faixa et√°ria. Um homem de 20 a 24 anos tinha, em 2018, 4,5 vezes menos chances de chegar aos 25 anos do que uma mulher.‚ÄĚ √© o que conta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estat√≠stica (IBGE).

‚ÄúEsse fen√īmeno pode ser explicado por causas externas, n√£o naturais, que atingem com maior intensidade a popula√ß√£o masculina‚ÄĚ, explica o pesquisador do IBGE Marcio Minamiguchi, ressaltando que, em 1940, n√£o havia essa discrep√Ęncia evidente entre os sexos nos grupos mais jovens. ‚ÄúA partir de meados da d√©cada de 80 as mortes associadas √†s causas externas passaram a desempenhar um papel de destaque. √Č um fen√īmeno proveniente da urbaniza√ß√£o e inclui homic√≠dios, acidentes de tr√Ęnsito e quedas acidentais, entre outros‚ÄĚ, complementa.

  • Aos 30 anos: 48,7 de expectativa de sobrevida, ou seja, expectativa de vida de 78,7 anos
  • Aos 40 anos: 39,5 de expectativa de sobrevida, ou seja, expectativa de vida de 79,5 anos
  • Aos 50 anos: 30,7 de expectativa de sobrevida, ou seja, expectativa de vida de 80,7 anos
  • Aos 60 anos: 22,6 de expectativa de sobrevida, ou seja, expectativa de vida de 82,6 anos
  • Aos 70 anos: 15,3 de expectativa de sobrevida, ou seja, expectativa de vida de 85,3 anos
  • Aos 80 anos ou mais: 9,6 de expectativa de sobrevida, ou seja, expectativa de vida de 89,6 anos ou mais

Publica√ß√£o feita com informa√ß√Ķes das pesquisas do CNDL e IBGE.

5 fatos sobre a geração Z

A gera√ß√£o Z se refere √†s pessoas nascidas entre 1997-2012. Tamb√©m chamada de gen z ou z-llennials, √© a gera√ß√£o que veio depois dos millennials e ainda convive com outras gera√ß√Ķes anteriores, como os av√≥s baby boomers.¬†

De acordo com o Insider Intelligence, os millennials lideraram as gera√ß√Ķes mais velhas na ado√ß√£o de tecnologia e na ado√ß√£o de solu√ß√Ķes digitais. Seu status financeiro e conhecimento de tecnologia mudaram fundamentalmente a maneira como vivem e trabalham, ganhando estere√≥tipos de que eles trocam de emprego e mataram v√°rias ind√ļstrias. Antes da Gera√ß√£o Z, os millennials eram a gera√ß√£o maior e mais diversificada racial e etnicamente.

Em breve, a geração Z terá mais representatividade no consumo, à medida que termina os estudos e entra no mercado de trabalho. A previsão é que tenha 85% de participação no mercado dos Estados Unidos em 2025 e esse dado segue a tendência mundial, à medida que ocorre o envelhecimento da geração Z.

ūüĒé Seguem cinco fatos sobre a gera√ß√£o Z e o seu comportamento.

⚪ 1. Os mais velhos de geração Z já têm 25 anos e os mais novos, 12 anos. Eles já consomem mídia e realizam compras, fazendo que seja uma fatia importante de novos consumidores à medida que se inserem no mercado de trabalho.

‚ö™ 2. Essa gera√ß√£o foi criada na internet e nas m√≠dias sociais. Eles n√£o possuem a refer√™ncia da vida ‚Äúantes e depois da internet‚ÄĚ. A conex√£o digital j√° estava consolidada em seu nascimento. E as redes sociais j√° faziam parte do consumo de plataformas. O Facebook, por exemplo, foi criado em 2004 e o Instagram, em 2010. As pessoas mais velhas da gera√ß√£o Z nasceram em 1997, ent√£o a sua forma√ß√£o j√° veio com o consumo di√°rio de redes sociais. A ado√ß√£o de redes como o Instagram, Snapchat e Tik Tok √© presente na sua vida.

⚪ 3. A geração Z se considera mais aberta e de mente aberta do que qualquer geração anterior. Até o nascimento dessas pessoas, a geração mais diversa e que apresentava mais diversidade era a geração millennial.

‚ö™ 4. Nos Estados Unidos, quase metade da gera√ß√£o Z √© composta de minorias, em compara√ß√£o com 22% dos baby boomers. A sua origem ja faz com que a gera√ß√£o Z seja composta de mais negros, LGBTQ+, neurodiversos e de origem √©tnica diferente das gera√ß√Ķes anteriores.

⚪ 5. A maioria da geração Z apoia movimentos sociais como Black Lives Matter, direitos transgêneros e feminismo. Parte da mentalidade ligada à diversidade está em sua origem e também é somada com a convivência com pessoas diferentes.

‚ö™ Sobre a diversidade, as marcas tamb√©m t√™m sido visadas para fazer uma comunica√ß√£o e produtos mais diversos. ‚ÄúA inclus√£o √© cada vez mais esperada, especialmente pela gera√ß√£o Z e pelo p√ļblico da gera√ß√£o millennial.‚ÄĚ (Jill Estorino, presidente e diretora administrativa da Disney Parks International na The Walt Disney Co).