Jovens confiam mais em influenciadores do que em marcas

📊 70% dos jovens confiam mais em influenciadores do que nas celebridades tradicionais. Quando os influenciadores expõem sobre o seu modo de vida, o que usam e mostram a sua personalidade, mostram uma face mais humana e que não está atrelada diretamente à venda, mas sim a um modo de vida, gerando identificação.

📊 4 em 10 millennials afirmam que seu influenciador favorito o entende mais que seus amigos. Os jovens tem buscado seguir personalidades que tenham mais alinhamento com as suas ideias, o que faz o volume de discordâncias diminuir e aumentar a sua identificação com pessoas que vê online.

📊 É difícil que as marcas alcancem a confiança que os influenciadores geram nos jovens, mas mensagens de confiança podem ser associadas às marcas por meio de influencers. s mensagens tradicionais das marcas são menos focadas no storytelling, ligadas à venda e aos produtos oferecidos, e não exatamente uma mensagem. As pessoas buscam autenticidade e personalidade (conforme vimos nas tendências da Fjord de 2022), e menos um discurso de venda, direto e sem algum significado. Nesse cenário, os influenciadores são importantes por já trazer uma visão pessoal e encarada como sendo sincera.

📊 Com o uso de influenciadores, não precisam se promover o tempo todo e podem se dedicar a passar a sua mensagem. O uso de influenciadores pode trazer uma vantagem para as marcas, no sentido que podem trazer mais da sua visão, valores e criar a autenticidade buscada pelas pessoas, algo que os influenciadores possuem. Vimos que algumas marcas tem focado em estratégia de utilizar influenciadores, como a Bottega Veneta, que saiu do Instagram e manteve seu trabalho com embaixadores virtuais na publicidade.

📊 Ao invés da promoção, utilizam os influenciadores em sua defesa para que passem credibilidade.

(Insights sobre os dados do Digital Marketing Institute/2021).