Tendência do pistache em 2024: dados e análise da pistache mania. Dataísmo 2024.

Tendência do pistache: a ascensão do mercado e a pistache mania

A tendência do pistache está visível no mercado, em vídeos curtos da internet e também em muitas chocolaterias do Brasil. Nota: *Todos os dados foram coletados e coletados por Juliana Freitas/Dataísmo. Conteúdo original.

O pistache é uma semente comestível originária da Ásia, e chama a atenção por seu sabor único e pelo seu valor nutricional. Pode ser utilizado como um snack saudável e também como ingrediente em diversas receitas, desde pratos salgados até doces e sobremesas. Um exemplo popular de produto feito com pistache é o chocolate de pistache, que combina o sabor marcante da semente com a doçura do chocolate, sendo uma opção apreciada por muitos consumidores.

No Brasil, produtos como sorvetes, ovos de páscoa, bombons e pasta para usar em torradas também são vendidos com base no pistache. Ele tem a vantagem de ser versatilidade, além da crescente popularidade desse alimento.

Tendência do pistache no mercado consumidor

O mercado global de pistache está em expansão, com estimativas apontando para um valor de US$ 4,70 bilhões em 2024 e projeções de crescimento para US$ 5,85 bilhões até 2029, representando uma taxa de crescimento anual composta (CAGR) de 4,47% durante o período (Mordor Intelligence). No Brasil, as importações de pistache aumentaram significativamente em 2023, atingindo US$ 8,8 milhões, o que corresponde a 608 toneladas do produto (Forbes).

Fatores do aumento da tendência do pistache

O aumento da demanda por pistache pode ser atribuído a diversos fatores. Primeiramente, seu sabor único e seu valor nutricional têm contribuído para sua popularidade global, tornando-o uma escolha atrativa para consumidores preocupados com a saúde.

Além disso, a produção de pistache é complexa e requer condições climáticas específicas, o que limita sua oferta e contribui para o aumento dos preços. Eventos geopolíticos, como a guerra na Ucrânia, também impactam o fornecimento global de pistache, influenciando os preços do produto.

Por fim, as tendências de consumo, que valorizam cada vez mais produtos saudáveis e saborosos, têm impulsionado a demanda por pistaches em todo o mundo.

Tendência do pistache na Páscoa brasileira em 2024

Tendência do pistache em 2024: dados e análise da pistache mania. Dataísmo 2024.
Tendência do pistache em 2024: dados e análise da pistache mania. Dataísmo 2024.

Em 2024, o pistache ocupou um espaço especial em produtos, mostrando nas prateleiras a presença dele como ingrediente, crescendo a olhos vistos. Encontramos produtos como: Ovo de Colher Pistacchio da Bacio di Latte, Ovo LaNut Pistache da Cacau Show, Ovo Trufado Framboise e Pistache da Prawer, Ovo de Páscoa Recheado Pistache da Brasil Cacau e Ovo de Páscoa Black & White Pistache da Kopenhagen. Além disso, também continua a ser usado em chocolates especiais ou premium de microempreendedores brasileiros, especialmente confeiteiros e pequenas cafeterias.

Interesse por pistache na internet

Nos últimos 5 anos, a busca do termo “pistache” no Google aumentou 100% (Google Trends, 2019 a 2024, dados coletados em abril de 2024). Também cresceu o interesse por Cacau Show, Kopenhagen, marcas com produtos de pistache. Ainda encontramos buscas por sorvete de leite com pistache, ovo de páscoa de pistache, pasta (patê) de pistache, verde pistache, panetone de pistache, brigadeiro de pistache, fruta e recheio de pistache em todo o Brasil.

Em outras palavras

O interesse pelo pistache tem crescido significativamente na internet, com buscas no Google Trends indicando um aumento constante na procura pelo termo “pistache” nos últimos anos.

As vendas de pistache estão em alta tanto no varejo físico quanto online, com supermercados, lojas especializadas e plataformas de e-commerce registrando um aumento significativo na demanda pelo produto.

Nas mídias sociais, o pistache se tornou um ingrediente popular, com diversas receitas, dicas e conteúdos criativos que atraem a atenção dos consumidores.

*Todos os dados foram coletados e coletados por Juliana Freitas/Dataísmo. Conteúdo original.

Para continuar a conversa

Rolar para cima