Dados da Meta (Facebook) do último trimestre (Q2 2022)

Receita do Facebook no último trimestre

Meta teve queda de ganhos pela primeira vez em comparação aos últimos 14 trimestres. Teve ganho de 6.69 bilhões de dólares, com diminuição de 36% de sua receita em relação ao segundo trimestre de 2021.

Para o Meta, “essa perspectiva reflete uma continuação do ambiente de fraca demanda de publicidade que experimentamos ao longo do segundo trimestre, que acreditamos estar sendo impulsionado por uma incerteza macroeconômica mais ampla”.

Publicidade e audiência

Aumento de impressões dos anúncios em 15% considerando todos os aplicativos. O preço médio por anúncio diminuiu 14% em relação ao ano passado.

Apesar da receita do Facebook ter diminuído, o Facebook aumentou sua audiência em 3% com 1.97 bilhões de usuários únicos.  Nos últimos trimestres, a rede havia perdido usuários ativos. 

Meta informou que 2.88 bilhões utilizam todo o ecossistema de plataformas, composto de Facebook, Messenger, Instagram e WhatsApp todos os dias (um aumento de 4% em relação ao trimestre anterior).

Percepção e expectativa para a Meta

De acordo com o relatório Q2 2022, Meta disse que espera que a receita do terceiro trimestre de 2022 fique na faixa de US$ 26 bilhões a US$ 28,5 bilhões, refletindo a contínua diminuição da demanda de publicidade a partir do segundo trimestre.

“Foi bom ver uma trajetória positiva em nossas tendências de engajamento neste trimestre provenientes de produtos como Reels e nossos investimentos em IA”, disse Mark Zuckerberg, fundador e CEO da Meta. 

“Estamos colocando mais energia e foco em torno de nossas principais prioridades da empresa que abrem oportunidades de curto e longo prazo para a Meta e as pessoas e empresas que usam nossos serviços”, completou Zuckerberg.

*Com dados e traduções livres do relatório Facebook Q2 2022 Earnings.

Kesong: vem aí um novo Instagram? A rede social chinesa de fotos

Recentemente, tivemos pedidos de influenciadores e da audiência das redes sociais para “fazer o Instagram, o antigo Instagram de novo” (em tradução livre) e, nesse meio tempo, um anúncio gerou expectativa na internet e nos negócios: de que haveria uma nova rede, similar ao antigo Instagram, que era focado em fotografias e lifestyle.

O Kesong (que significa croissant chinês) é uma novidade da ByteDance, criadora do Tik Tok, o aplicativo de vídeos do momento. Por meio da nova rede social Kesong, os usuários poderiam compartilhar fotos, comentários e realizar compras por meio de uma loja integrada.

Ele também seria uma concorrência à outra rede social popular na China, Xiaohongshu, que possui mais de 200 milhões de usuários ativos por mês e é sucesso no país (veja alguns dados aqui nesse post do blog). Focado na geração Z e em mulheres, permite compras dentro do aplicativo e possui influenciadores que potencializam marcas e produtos. O Kesong também traria uma alternativa para o Instagram caso chegue aos americanos e brasileiros, além de demais países com pessoas insatisfeitas hoje.

A empresa ByteDance lançou anteriormente dois aplicativos semelhantes de fotos: Xincao em 2018 e Xintu em 2019. Ambos acabaram sendo descontinuados, de acordo com relatório de 36kr Holdings (que mostra cadastros de empresas e relatórios de negócios na China).

“Os clientes mais jovens ou a geração Z em particular demonstraram preferir abordagens de negócios por meio de aplicativos de mídia social, apesar das preocupações com privacidade e coisas do tipo.

Para ByteDance, Kesong marcaria o próximo capítulo sobre como planeja dominar o setor de mídia social. Com o TikTok já sendo o aplicativo mais baixado globalmente, será interessante ver como Kesong se comporta no mercado chinês e se o aplicativo chegará ao cenário internacional.” (TechWire Asia).

A previsão é de que o Kesong lançaria o seu aplicativo “neste verão quente” (setembro), de acordo com a introdução da plataforma.

Com dados do TechWire Asia e Marketing to China (com tradução do site 36kr, em inglês).