Creators e influencers: diferenças e semelhanças

Creators e influencers: quais são as diferenças e semelhanças entre os dois?

Às vezes eles são chamados de creators e influencers ao mesmo tempo. Em outros momentos, apenas de youtubers, twitchers, instagrammers ou tiktokers. Mas estava pesquisando sobre o assunto, e gostaria de compartilhar algumas diferenças que encontrei entre creators e influencers.

Uma nova economia surgindo, com novos termos

A origem do termo creators surgiu por volta de 2011, de acordo com o jornal The Atlantic, para se referir às pessoas que criam conteúdos nas plataformas de mídias sociais. 

(Partners ou parceiros foi um nome considerado quando surgiram os youtubers, mas a parceria se refere à associação com a marca. E nem sempre os criadores de conteúdo se ligam diretamente a elas, é uma associação mais livre, pois pode criar no Youtube, mas também no Twitter, e outras redes de vídeo).

“Essas pessoas eram mais do que talento na tela”, diz Tim Shey, cofundador da Next New Networks, que na época trabalhava no YouTube. “Eles sabiam escrever, editar, produzir, fazer gestão comunitária e eram empreendedores”. Eram pessoas com diferentes referências e backgrounds variados, compartilhando o que sabiam na internet.

Os creators

Entendendo a diferença entre parceria e criação, surgiu o termo “creators”. Os creators criam conteúdos em diversos formatos, incluindo publicações em blogs, vídeos, fotos e reels que envolvam audiência.

Porém eles não são limitados apenas a esses formatos citados aqui, pois eles podem expandir para novas redes que possam surgir. Isso inclui os vlogs, dicas e tutoriais, vídeos, e demais opções de formatos que envolvem diversas mídias sociais ou plataformas disponíveis na internet. O creator acaba tendo uma área ou várias áreas que conversa com a audiência. Pode explicar, educar, tirar dúvidas sobre um assunto que domine, por exemplo.

Em busca de definir um “influencer”

Já os influenciadores, em uma definição super simples como diz o próprio nome, influenciam. São personalidades que possuem notoriedade e fama em sua posição. Em relação ao conteúdo, os influenciadores podem compartilhar como vivem suas vidas, promovendo os produtos e serviços que usam ao longo do caminho e sem, de forma obrigatória, gerar algum tipo de “linha editorial”.

Um pouco da história: “Enquanto os criadores do YouTube lutavam para expandir seus impérios, uma geração inteiramente nova de estrelas nativas do Instagram estava surgindo atrás deles. Eram pessoas como o Fat Jewish, que construiu sua marca a partir de memes; Caroline Calloway, que exagerava em todos os aspectos de sua vida como estudante da Universidade de Cambridge; e a família Eswein-Phillips, que administrava contas enormes baseadas em interesses com nomes como @food, @baking, @realestate e @newyorkcity. No início, de 2014 a 2016, essas pessoas eram chamadas de estrelas do Instagram ou Instagrammers. Mas no início de 2017, uma nova palavra começou a se firmar: influenciador” (no The Atlantic).

Diferenças entre influencers e creators

Uma forma de classificar uma personalidade digital é entendendo também qual a intenção do seu conteúdo. Os creators publicam conteúdo mais envolvente, que educa e informa, mas que não tem objetivo principal focar em sua vida pessoal. É menos sobre ele mesmo e mais sobre as informações que está compartilhando. Enquanto isso, os influenciadores são o contrário, focam mais em si mesmos e nas suas vidas e menos nas informações ou universos de assuntos ligados à informação e educação.

Em resumo, focar em si ou no assunto, mas considerando que ambos podem ter formas de monetizar a sua presença digital por meio de publicidade ou parcerias, e assim fazer parte da economia na internet (e fora dela). Seja da influencer economy ou da creator economy. 🙂

Profissional de Digital Business e Business Intelligence, com foco em Consumer Insights, Trends e Cultural Research. Pesquisa e trabalha criando estratégias baseadas em dados. Criadora do Dataísmo e da comunidade de consumer insights Priszma by Dataísmo. Formada em Marketing e pós-graduanda em Digital Business na USP.

Share