ShadowBan: o que é e como evitar

Shadowban é o nome popular dado à punição sofrida pelo uso de hashtags impróprias ou identificadas como fora das regras do Instagram. Saiba como evitar e sair do shadowban. O shadowban não é reconhecido oficialmente pelo Instagram: as punições são chamadas de sair das diretrizes da comunidade mas, para facilitar o texto, será utilizado o termo shadowban aqui

  1. O que é shadowban?

Shadowban é o nome dado à punição sofrida pelo uso de hashtags impróprias ou identificadas como fora das regras do Instagram, tais como relacionadas à violência, fake news, preconceito, ódio e termos impróprios ou sexuais, tais como o #sextou (que está ligado ao sexting americano, de envio de nudes, e no Brasil é o ato de aproveitar a sexta-feira).

 

  1. O que acontece se eu receber shadowban?

Sofrer shadownban pode diminuir o alcance, limitar quem pode ver suas postagens e afetar o engajamento. Pode impedir que outros usuários não vejam as postagens na seção de recomendação, excluindo as postagens de uma pesquisa de acordo com hashtags. Como o Instagram é uma ferramenta de negócio para diversas marcas, especialmente pequenos negócios, utilizar as hashtags de forma correta e impedir o shadowban é uma grande preocupação. O Instagram reconheceu que as postagens categorizadas como “impróprias para nossa comunidade” não seriam apresentadas na página de exploração do Instagram.

 

  1. Como saber se sofri shadowban?

Caso você sofra queda repentina no engajamento, em vários posts, com o uso de hashtags muito populares/suspeitas, e o alcance também tenha diminuição é possível que tenha sofrido shadowban. Caso o seu alcance não retome o valor anterior em dois ou três dias, é possível que sua estratégia que não seja bem sucedida, e não seja o shadowban em si.

  1. Como recuperar o engajamento caso sofra shadowban?

Algumas ações podem auxiliar, como diminuir as publicações durante 24h, deletar ou ocultar as publicações com hashtags suspeitas, retirar as hashtags suspeitas dos posts e, nas próximas publicações, evitar repetir muito as hashtags ou utilizar as que foram identificadas como suspeitas.

  1. Como evitar shadowban?

Procure utilizar hashtags que estejam alinhadas ao seu negócio, use-as com moderação, sem repetições, evite uso de hashtags suspeitas e que fujam das regras da comunidade do Instagram. Fique atento(a) às mudanças no algoritmo e sempre adapte a estratégia de seu conteúdo para entregar melhor e com assertividade, evitando ser banida.

TikToktização das redes sociais ou “efeito Tik Tok”

🔎 Essa semana vi muito sobre o “efeito Tik Tok” ou “TikTokzação das redes sociais”. E no contexto de que o Tik Tok e o Instagram estão entre os aplicativos mais baixados em junho de 2021. Mas será que estamos entendendo direito o que é o efeito Tik Tok na audiência e como usá-lo? Hoje vou falar sobre o que é essa “internet das dancinhas” (SIC), o seu uso e o suposto apocalipse das redes.

👀 O TikTok, rede social de vídeos (inicialmente curtos e, agora, também longos) criou um novo modo de consumir conteúdos audiovisuais, que gera tendências de consumo e divulga hits musicais. E não é apenas o TikTok: o Instagram, com os Reels, permite criação e edição de vídeos rápidos, e o Youtube lançou a publicação de vídeos curtos. Com base no formato rápido, nos desafios, nas coreografias e no engajamento gerado, usa-se o termo de “TikToktização das redes sociais”. Em geral, é uma expressão pejorativa, que indica falta de conteúdo, esvaziamento, “coisa de jovem sem nada na cabeça”.

💡 Porém, será que o TikTok é apenas isto e irá matar as outras formas de comunicar? Tenho dois pontos sobre isso. 1. A internet não é só dancinha. E 2. O viés apocalíptico.

◾️ Primeiro. A internet não é só dancinha. E nem o TikTok. O que falta é estratégia para uns e, para outros, senso de diversão. A estratégia só funciona quando está de acordo com a voz da marca. Do contrário, fica sim, vazio, descolado do propósito e ruim. E há o senso de diversão. A rede é feita por maioria jovem, que lança sim, muitas tendências. Há escolhas de aplicá-las ou não. Pode ser que o desafio não seja o objetivo. E que pessoalmente, não tenha o seu cantor favorito, e você prefere a coreografia dos BSB aos passos da Doja Cat. Ambas as coreografias e vídeos coexistirão.

◾️ Segundo. A discussão sobre isso me lembra as teorias da comunicação e os seus filósofos, que estudei na faculdade. Eles eram chamados de apocalípticos. Eles pregavam que um meio canibalizaria outro, mataria-os e tornaria as pessoas mais burras. Não é à toa que eram chamados de “apocalípticos”.

Quando a TV foi lançada, achavam que o rádio ia morrer. Quando o cinema foi criado, acreditaram que o jornal faleceria. Mas o jornal, a tv, o cinema, convivem e muitos canais se adaptaram ao digital. Não morreram.

🤔 Será que estamos repetindo esse mesmo pensamento no TikTok, sem deixar espaço para novas mídias emergirem – mesmo que os vídeos curtos e as coreografias não sejam parte da nossa estratégia, nossos gostos e hobbies? A verdade é que na história, nem todas as mídias novas e formatos novos mataram os outros. Continuam existindo outras formas de consumo de conteúdo. Até hoje. O slow content continua disponível. O Youtube, por exemplo, não matou as séries (e o Youtube pode falar de fofocas de celebridades ou oferecer cursos gratuitos em playlists incríveis). Então, nesse mar de escolhas, será mesmo que o TikTok, vai “matar” alguma coisa?